ÚLTIMAS POSTAGENS

UMA FESTA NA BARROQUINHA.

                       TRIBUNA DO POVO

Em 1896 o jornal " REPÚBLICA" já noticiava os festejos de N.S.dos Navegantes naquela pequena vila de Barroquinha.
 A 120 anos, mostrava a simplicidade , alegria, a fé, do nosso povo. E determinação das pessoas para a realização da festa.
descrevi aqui a notícia , usando a escrita da época.
                                                                              

                                                                                                
           Uma festa na Barroquinha

                    (comarca de granja)

Barroquinha, pequena povoação distante de Camocim sete á oito léguas, esta assentada n`um terreno plano meio arenozo, seco e quente.
A planta da povoação, de aspcto agradabilíssimo, forma um quadro . suas casas,  modestos abrigos de construcção singela, indicam a pobresa de seos habitantes.
A capella collocada quasi no centro desse quadro, é pequena e simples mas asseiada e bonitinha.
Como é bello o amanhecer na Barroquinha! Uma legião de passaros  diversos fasem um concerto alegre com seus gorgeios poeticos ! como é sublime o reflectir do sol na areia prateada! Assemelha-se a um oceano de perolas salpicado de pedras preciosas! Celebrava-se a festa em honra da padroeira que é N.S dos Navegantes.
Não havia uma só casa barraca ou arvore que não estivesse ocupada por diversas famílias.
De todos os lugares vizinhos, e todas as direcções avançavam devotos. A igrejinha que não se feichava antes de hora avançada da noite estava sempre replecta de penitentes.
O estimavel e digno coronel Zeferino de veras protector assíduo de Barroquinha, não poupava esforços áfim de abrilhantar esta festinha tradicional.
Linas peças eram executada pela banda de musica do Ipú, dirigida pelo sympathico. Maestro ygnacio , salientando-se o piston que era tocado divinamente pela exmo.sr. D. Maria, dilecta filha do referido maestro.
Como cantoras da orchestra sabem salientavam-se D. Izabel e a interessante Neném, filhas também do mesmo maestro.
Para completar a grande alegria do povo a noite formaram-se diversos bailes sobresahindo um deles, pelo vestuarios das damas e o modo de marcar as quadrilhas pelo mestre-sala que não era deste mundo.
O sacerdote foi incansavel no desempenho de sua missão, pois além de outros serviços confessou 465 pessoas, baptisou 96 crianças ; fez dose casamentos e administrou o sacramento da confirmação a 169 pessoas .
A festa terminou no dia 26 decorrente pela manhã com procissão e missa cantada.
Agradaveis foram as horas ahi passei , restando-me ainda uma vez salientar o nome, já bem conhecido do coronel Zeferino de Veras, que eom suas virtudes e bons exemplos tem sabido ivertir no animo daquela boa gente a ordem, a disciplina e o amor ao trabalho.

Granja, 3 de Agosto de 1896.
Um hóspede..





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba nossas novidades no ceu e-mail

Mais popular no mês

Acessos

 
Modificado por: Rodrigues